Empreendedorismo feminino e empoderamento: há relação entre estas palavras?

Empreendedorismo feminino e empoderamento: há relação entre estas palavras?

09 de Setembro de 2020

Por Silvia Lazzaretti | 

Empreender muitas vezes não é uma simples escolha – afinal, nunca é algo simples, de fato. Para muitas pessoas, empreender é uma atividade de sobrevivência, ainda mais se estivermos prestando atenção no contexto em que as diferentes empreendedoras se encontram.

Mesmo assim, o empreendedorismo está ligado a uma realização nova, seja ela no mercado de trabalho ou na vida. Isso quer dizer, que para qualquer nova atividade empenhada é necessário ter coragem para empreender! Sem dúvida, todos nós empreendemos em alguma situação da vida. E para aquelas mulheres que olham para o mercado, é necessário ter coragem, confiança e um bom relacionamento com seu próprio poder.

Muito se fala sobre empoderamento, mas o que ele significa de fato? E qual a relação com empreendedorismo?

As mulheres precisaram enfrentar uma luta intensa para conquistar liberdade e independência. Afinal, fomos impedidas de termos salários, investirmos dinheiro e outras tantas circunstâncias, que afastaram as mulheres do poder sobre a própria vida. Empreendedorismo feminino traz sustentabilidade e independência a diversas mulheres que procuram estar à frente das próprias decisões. E esta situação tem tudo a ver com ter poder sobre si: ser empoderada!

Se empreender para um homem não é uma atividade simples, para a mulher as dificuldades se tornam ainda maiores. Mesmo com maior escolaridade, as mulheres têm desvantagens desde o rendimento mensal, até o acesso às linhas de crédito. De fato, ser mulher empreendedora requer coragem e confiança.

Segundo o Sebrae as mulheres empreendedoras são mais jovens e têm um nível de escolaridade 16% superior que os homens. Isto quer dizer, que as empresárias buscam por mais oportunidades de conhecimento sobre o próprio negócio. Estudar, então, pode ser um grande passo para a confiança em empreender!

O segmento da beleza no mercado de trabalho é significativo quando o assunto é empreendedorismo feminino, já que as principais atividades em que as mulheres empreendem são nos segmentos de beleza, moda e alimentação. São atividades em sua maioria incorporadas pelas mulheres no mercado, e auxiliam diversos grupos de mulheres a encontrarem autonomia e sustentabilidade para suas vidas.

Em entrevista para a Revista Cabelos, a empresária Lucinha Mauro dá dicas para empreender no mercado da beleza e uma de suas sugestões é entender que a gestão de uma empresa na área da beleza é completamente diferente de outros segmentos. Já que a área da beleza tem uma gestão muito mais ligada ao emocional que racional.

Mesmo que empreender seja uma tarefa desafiadora para as mulheres, é também uma forma de trazer independência, autonomia, liberdade e (muitas vezes) recomeço. Confie nas suas mãos, desafie-se, planeje e empodere-se!

Fonte:
SEBRAE
FIA - Fundação Instituto de Administração

 

Sobre a Silvia:
Educadora, escritora, redatora, podcaster e empreendedora, Silvia é graduada em História e pós-graduada em Cultura Digital. Criadora e podcaster do espaço de criatividade Laboratório de Histórias, empreende na empresa CRIAtiva - educação para a sensibilidade. Tem como princípios a transformação social, por meio da literatura, cultura e arte. Instagram: @laboratorio_historias e @silvia.criativa

 

CADASTRE-SE E FIQUE POR DENTRO DAS NOSSAS NOVIDADES